Sapatonas pela responsabilidade social

Quase sempre que volto a escrever nesse blog é porque aconteceu alguma micro tragédia lesbofóbica. Dessa vez não é muito diferente, mas na real o assunto central aqui é responsabilidade social.

Cara, eu queria muito que sair de casa pra resolver alguma coisa ou dar rolê significasse só isso. Mas sempre tem que ficar esperta pra não ser ser maltratada, estuprada, pra não apanhar, pra não mexerem com você na rua, pra não ser sequestrada, … As sapatonas negras ainda tem que ficar ligadas pra não tomar enquadro porque “parece homem” e homem negro é suspeito suspeito. As pessoas trans, então, não podem existir. Vai ser foder!

No outro dia fui até o supermercado mais próximo da minha casa (O famigerado Delta da Vila Monteiro em Piracicaba), como faço pelo menos uma vez por semana. Meu objetivo era comprar carne moída para fazer a comida do meu cachorro (quando tenho tempo, prefiro fazer comida caseira para ele~), mas quando vi qual era o funcionário do açougue naquele dia, me desanimei. Um homem branco de uns 60 anos, que sempre me atende com MUITO pouco caso e cara de merda.

Resultado de imagem para april parks and rec

Uma cara de merda desse tipo aqui

Até então, eu queria acreditar que ele fosse assim com todos os clientes, mesmo vendo que ele sempre estava rindo com os outros funcionários e de vez em quando com alguma/algum cliente eventual.

Luiza, não seja preconceituosa! Não é porque ele é velho que vai necessariamente ser cuzão. Pode ser só o jeitinho dele.

Eu sabia que o fato dele ser uma pessoa idosa não tinha nenhuma relação com o atendimento péssimo que eu recebia… Era como se fosse uma coisa pessoal. E de fato era.

Depois de ficar zanzando pelo supermercado pra adiar o encontro, eu ainda procurei, sem sucesso, na geladeira de carnes pra ver se tinha alguma carne moída na bandeja, e entrei na fila para fazer o pedido. Não tinha fila, era só eu ali parada e já de começo, e ele me ignorando por uns 30 segundos. Aí eu finalmente saquei e aceitei que ele era um cuzão, resolvi “me impor” (uhhhmm) e falei duro, mas na maior educação:

Bom dia. Eu quero 500g de acém moído, por favor.

Ele me olhou com cara de merda, pegou a carne, jogou no moedor e foi encher o saquinho. Aí ele ficou tirando e colocando carne pra acertar 500g exatamente. Eu já tava puta da cara. Fingi que tava tudo certo. Quando ele finalmente parou, peguei o saquinho e saí fora.

Só que eu tinha esquecido alguma coisa, não lembro o que, e voltei para um corredor mais ou menos perto do açougue e captei (eu tenho ouvido de cachorro pra esse tipo de merda) no ar a seguinte frase:

Aí agora tem esse monte de bixa e sapatão. Eu hein! Sai fora.

Nessa hora eu já tava com a Lei 10.948 (que não é perfeita, mas é o que tem pra hoje) na ponta da língua pra chegar dando escândalo.

Fui e me escondi atrás de uma gôndola pra ouvir a conversa e encontrar o timing perfeito.

Aí eu parei e me vi nessa situação escrota, sabe? Eu só queria ir até o mercado e voltar pra casa, só isso. Como um ser humano normal. Só que tem que ter um desgraçado desses pra cagar no meu dia. Acabei desistindo, engolindo o sapo e voltando pra casa resmungando.

O pessoal empreendedor/gestor/empresário precisa entender que a responsabilidade social (chic, né?) é algo positivo para as empresas. São tão liberais em tudo, mas tem horas que parecem não querer ganhar dinheiro. heh tem horas que parece que a gente tá preso num episódio bosta de Mad Men.

AH NÃO! DINHEIRO DE VIADO NÃÃÃO! QUE NOJUUU! QUE COISA MAIS IMORAL!

Responsabilidade social gera bons negócios, atrai novos clientes, dá visibilidade pras marcas. E, sinceramente, é só fazer o mínimo. Uma propaganda com duas pessoas negras ao invés de 1 ou 0, duas manequins dando as mãos no dia das namoradas, bandeira de arco-íris na época da parada LGBT, um meme escrito “gente, não precisa matar todas as pessoa trans.bjs”, uma mulher num cargo de gerência, … Não é tão difícil assim. Se quiser ir além, pode parar de testar em animais, parar de usar trabalho escravo, não discriminar seus funcionários, … não sei, são só idéias…

Resultado de imagem para lgbt shopping

Tipo esse meme que combate o preconceito contra pessoas de calça cáqui e gel de cabelo

Outra coisa muito importante, é começar a entender como funcionam as mídias sociais hoje em dia… Ser ~legal~ gera burburinho nas redes, mas ser uó pode gerar bem mais. A lista de cagadas preconceituosas é gigante…

captura-de-tela-2017-01-26-as-12-47-32

Lembra da merda que o Center 3 fez? Clica aqui pra ver a notícia.

Resultado de imagem para lgbt shopping

Ó, lá! Outro shopping…

E assim, CEOs e afins, você não precisam se tornar pessoas boas por causa disso. Podem continuar gostando só do pessoal Abercrombie & Fitch, que seja… mas aposto que vocês curtem ganhar dinheiro.

Olha aqui outro exemplo (esbarrei nesse hoje, mas tem milhões por aí) pra isso que eu tô tentando dizer aqui:

captura-de-tela-2017-01-26-as-13-34-30
https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fluisa.simoni%2Fposts%2F10208437090185299&width=500

Então, a dica de hoje é: respeito. Porque mesmo que você odeie, tá na moda (rysos). E isso não vale só pra bixa e sapatão, não! Vale pra pessoas trans, negras e negros, jovens, pessoas com deficiência, skatistas,  ciclistas, gente alérgica a glúten ou que não é alérgicamasnãocomenadacomglutemporqueéveneno, vegetarianos e veganos… tipo assim, mil e uma utilidades pra essa dica, olha que belezinha.

PS: Não é que eu ache que a revolução vai acontecer quando o capitalismo se apropriar/assimilar as lutas por direitos civis e que esse é o único problema do mundo… mas é massa assistir um Sense8zinho de vez em quando, né?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s